Edição 15 · x

Pesquisa e tempo: dedicação e vocação na FDRP

Pelo prof. Dr. Alessandro Hirata

gallery_img_4935

É com muita alegria que escrevo sobre as atividades de pesquisa na nossa FDRP, especialmente nesse momento de comemoração dos dez anos de fundação da faculdade, uma vez que, mesmo antes da criação da Comissão de Pesquisa, era o representante de nossa faculdade junto ao Conselho de Pesquisa da Universidade de São Paulo. Nesses dez anos, a pesquisa de qualidade tornou-se uma realidade na FDRP, transformando a faculdade em referencia no país. Não foi à toa que isso aconteceu: reunimos características e elementos que possibilitaram tal desenvolvimento e nos permitem alcançar os já notáveis resultados. Como veremos, o principal desses elementos é o tempo.

Desde o início de suas atividades, a FDRP previu um número elevado de professores em dedicação integral, bem como o período integral para os alunos. Tal combinação, especialmente na implantação do curso, reflete em um elemento essencial para a pesquisa, que é o tempo. Não é segredo que o tempo é fundamental para a pesquisa em ciências humanas. Mais do que isso, não é possível conceber atividade de pesquisa sem a demanda de tempo. Horas e horas de estudo em bibliotecas, análise de resultados colhidos, redação de relatórios e textos monográficos para artigos e livros, enfim, nenhuma atividade de pesquisa pode ser feita sem uma boa quantidade de tempo.

Uma das vertentes mais importantes da pesquisa na FDRP, em particular para os alunos da faculdade, é a iniciação científica. Já no início de 2009, com menos de um ano de atividades da faculdade, recebemos da Pró Reitoria de Pesquisa da USP quatro bolsas de iniciação científica do PIBIC. Era o início de uma já consolidada tradição na FDRP. A faculdade tem um número de bolsas de IC altíssimo, superando muitas vezes, também em números absolutos, a Faculdade de Direito de São Paulo, que tem quase cinco vezes mais alunos. Ademais, conseguimos realizar simpósios de iniciação científica, tornando-nos referencia dentro da Universidade.

A iniciação científica é a primeira atividade de pesquisa acadêmica para alunos de graduação. Trata-se de uma modalidade tipicamente brasileira, que gerou muitos efeitos positivos nas áreas de exatas e biológicas. No direito, essa tradição é mais recente, produzindo, porém, excelentes resultados. Afinal, todo aluno de graduação deverá fazer também um trabalho de conclusão de curso, que pode ter como parte principal a pesquisa de iniciação científica. Ter um programa consolidado de IC, como temos na faculdade, é a garantia na formação de novos pesquisadores e do crescimento da pesquisa na unidade.

Outra característica de nossa faculdade, a internacionalização, também caminha aliada à pesquisa. Diversos dos nossos docentes estudaram no exterior e continuam a realizar estágios de pesquisa e/ou de docência no exterior. Pós-doutorados e períodos como professor visitante no exterior são reflexos desse desenvolvimento. Tal processo é fundamental para a pesquisa na unidade, seja para trazer para nós os resultados de pesquisas feitas no exterior, nos grandes centros de pesquisa internacionais, bem como para divulgar a pesquisa de nossos docentes. É de suma importância que a internacionalização caminhe junto à pesquisa, a fim de que os melhores resultados possam ser alcançados.

A pesquisa na faculdade se destaca em diversas áreas. A competência e dedicação dos docentes, tanto em áreas tradicionais do direito, como em novas matérias, que surgem quase que cotidianamente na pesquisa jurídica, são responsáveis pelo desenvolvimento de projetos de pesquisa, simpósios e atividades acadêmicas que podem impulsionar ainda mais a pesquisa na FDRP. Desse modo, não é possível (o que não é de forma alguma negativo) identificar uma área de pesquisa única na faculdade, como é típico do direito, com suas mais variadas áreas e linhas de pesquisa. O importante, porém, é a excelência e a qualidade nas suas mais diversas áreas.

Obviamente, com a juventude da faculdade, ainda há muito o que avançar, também na pesquisa. A jovem pós graduação, com seu curso de mestrado, consolida seus primeiros resultados. A conquista do curso de doutorado é uma consequência natural do desenvolvimento da pós e da pesquisa na unidade. Trata-se de objetivo concreto a ser alcançado nos próximos anos.

Além disso, podemos sempre avançar na infraestrutura de pesquisa, especialmente, na nossa biblioteca. A biblioteca é o laboratório do pesquisador em direito e nas ciências humanas em geral. Desse modo, a atualização do acervo da biblioteca, bem como dos bancos de dados eletrônicos é fundamental para o avanço da pesquisa. Vale lembrar ainda, que por se tratar de uma biblioteca jovem (apesar da valiosíssima biblioteca do Prof. Antonio Junqueira de Azevedo, incorporada ao acervo), é necessária a aquisição de obras clássicas, que não perderam sua importância para a pesquisa jurídica.

Assim, podemos voltar ao tempo. Só o tempo irá dar a solidez necessária para a consolidação da FDRP como referencia em pesquisa jurídica. Todos os passos tem sido dados, bem como os resultados têm sido colhidos. Do mesmo modo, o tempo continua sendo necessário para a atividade de pesquisa. Que os alunos destinem esse tempo durante os seus cursos de graduação e pós-graduação, bem como os docentes tenham condições para poderem se dedicar às pesquisas.

Um comentário em “Pesquisa e tempo: dedicação e vocação na FDRP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s