x

Não sei falar sobre isso

cotas_usp82701.jpg

Por Socialista de iPhone

Tentei escrever esse texto de muitas formas. Pensei em apenas copiar e colar a letra de Cota não é Esmola da Bia Ferreira

“… Agora ela cresceu, quer muito estudar
Termina a escola, a apostila, ainda tem vestibular
E a boca seca, seca, nem um cuspe
Vai pagar a faculdade, porque preto e pobre não vai pra USP
Foi o que disse a professora que ensinava lá na escola
Que todos são iguais e que cota é esmola
Cansada de esmolas e sem o dim da faculdade
Ela ainda acorda cedo e limpa três apê no centro da cidade
Experimenta nascer preto, pobre na comunidade
Cê vai ver como são diferentes as oportunidades…”

Daí pensei que se tornaria extenso demais, mas lembrei da letra Estereótipo do Rashid e também pensei em apenas copiá-la

“…. Falemos de chances, pra você que esbraveja com raiva que é contra as cotas
Quantas vez cê já teve que provar que o que é seu, é seu, quase mostrar a nota?
Quantas vez cê acordou pra trampar, passou 2 horas só no caminho
E no vestibular disputou com quem acordou mais de 2 horas e foi pro cursinho?
Fica facinho assim, e a mentalidade aí se define
Quando gente igual eu só te serve se tiver fazendo gol pelo seu time
Esse estereótipo é baseado em séculos de história controversa
E se você que abraça não sabe, já sei quem tem mais Q.I nessa conversa…!”

Então veio o estalo: “espera aí, mas nossa faculdade já tem cotas tanto pelo SISU quanto pela Fuvest! É isso, não preciso falar das cotas – preciso apenas dizer como isso trás benefícios tanto sociais quanto intelectuais, de acordo com professora Katherine W. Phillips”!

E mais uma vez fui enganado por minha própria ingenuidade, mas por quê? Porque os alunos estão fraudando as cotas. Então não interessa ter cota, não interessa o benefício da diversidade, não interessa ter uma Universidade mais democrática! Os novos juristas da Universidade de São Paulo estão fraudando as cotas raciais!

Eu não sabia que isso estava acontecendo na Faculdade, pois no começo do ano fiquei sabendo que havia alguém que fraudou cotas raciais, mas resolveu não se matricular no curso (o mínimo). A notícia da chapa Primavera divulgada pelo Ócios trouxe muita indignação e só a partir daí fui conferir a lista pública dos matriculados e acabei me espantando ainda mais.

Mas então quem lê esse texto de fora da FDRP pode pensar: “certeza que alguém denunciou isso, certeza que os alunos deram um jeito”! Eu realmente queria estar próximo da pessoa e tentar mostrar aquele meme do “vocês contam ou eu conto?”

Tecerei loas à Chapa Primavera que retirou um de seus membros e explicou publicamente o caso, com a divulgação pública desse Ócios. Ao contrário dos casos de assédio, mas esse é um outro problema que não tratarei aqui (mas a conduta de não denunciar foi semelhante).

Agora temos um problema sério, o que fazer? Esses alunos já conquistaram grupos de amigos, eles participam de muitas atividades, como retirá-los? Os amigos vão aceitar? Aliás, as pessoas estão preocupadas com isso? Pode acontecer de ninguém ligar mesmo e continuar com seus carros ganhos ao completar os dezoito, irem passar as férias em outros países, dizer para as pessoas que dá pra ir aos jogos guardando um pouco por mês, dizer que o modelo de aula integral é super legal à alguém que precisaria trabalhar no período vespertino para conseguir pagar o aluguel para continuar estudando, ser super a favor de pautas identitárias com suas roupas de mais de quatrocentos reais, mas que blindam amigos machistas e homofóbicos, que humilham pessoas que pensam diferente.

Será que a comunidade da FDRP está preparada para enfrentar um problema como esse? Ou quem defende tais pautas de inclusão são apenas os pobres e pretos da faculdade? Porque se for isso estamos em minoria (como se fosse novidade). E daí eu lhes pergunto, o que são essas postagens defendendo minorias no facebook? Vocês são afeitos a tais atos ou apenas querem parecer jovens legais na internet? Agora não é mais para parecer hippie com vestido de seiscentos reais, agora é hora é de enfrentar um problema de fraude, vocês estudam numa faculdade de direito, pois. A escola construtivista que frequentaram a vida toda com cinco mil reais de mensalidade não mostrou isso a vocês? Havia negros nessas escolas? (começo a ver que o problema não é a fraude de cotas, é à aversão a negros e pobres).

Bem, meus caros e caras, sabemos que muita gente não vai ligar, mas as pessoas que acham isso ser um absurdo – vejam, pessoas brancas com parentes negros não sofrem preconceitos devido A COR DA PELE, por isso o discurso “o irmão do meu tio avô era escravo então tenho que ter cota racial” não cola, você pode ajudar na pauta, ser alguém que luta contra o racismo e as formas pós-modernas de segregação – precisam refletir, aliás, precisamos debater sobre isso, precisamos conversar sobre isso nos corredores, isso precisa ser pauta da sabatina da nova chapa do centro acadêmico.

Esse texto não tem o intuito de demonstrar que esses alunos que entraram fraudando cotas raciais não deveriam estar aqui, como e porque são tratados os negros neste país, a história de exclusão racial, nada disso e nada impede que alguém escreva sobre isso, o debate e as visões que isso pode gerar são saudáveis e benéficas ao debate. O motivo do texto é demonstrar que precisamos aprender a conversar, a debater sobre esses assuntos na Faculdade de forma inteligente e madura.

Como havia dúvidas de como iniciar o texto, também não sei como terminá-lo – peço humildemente desculpas por ser longo, pela linguagem pouco culta, mas esse é um tema que me afeta profundamente – vamos tentar resolver esse problema da melhor maneira possível. No fundo confio em vocês e gosto muito de estudar aqui. É isso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s