Feminismo · Semana temática na FDRP · Starbooks

Sobre personagens embustes

WhatsApp Image 2019-11-02 at 15.46.44
Acervo pessoal Flávia Gomes

Por Flávia Gomes (Dora) – T XII

Com a Semana da Visibilidade sobre Feminismo, eu fiquei me perguntando sobre qual livro iria resenhar. Contudo, tive uma ideia e me dei a liberdade de mudar o formato da coluna, ao menos dessa vez. Não, o Starbooks de hoje não é sobre um livro em específico. Hoje, apresento a vocês uma lista de personagens machistas que já tive o desprazer de conhecer – literariamente falando.

  1. Asa Jackson

Em tarde demais, livro de Colleen Hoover, nos deparamos com Asa Jackson, um traficante que se relaciona com a Sloan. O relacionamento dos dois é tudo de pior que você pode pensar – abusivo, machista e agressivo.

Sloan tem plena consciência que vive em um relacionamento abusivo. Asa a humilha constantemente, a estupra em diversas cenas do livro, chegando até mesmo a cometer o crime enquanto ela dormia. Então você se pergunta, por que ela não se livra dele? Assim como muitas mulheres, Sloan é dependente financeiramente do traficante, que banca o caríssimo tratamento de saúde do seu irmão. Por isso, ela vive numa redoma de violência – psicológica, física e sexual.

O livro é uma série de gatilhos, pois todas as cenas são relatadas de forma vívidas, inclusive as de estupro. Mesmo assim, as atitudes de Asa são “justificadas” por conta de uma infância onde ele próprio foi violentado.

“Chorei por deixar que ele faça isso comigo. Chorei por sentir que não tenho escolha. Chorei por ainda estar com ele, apesar da pessoa que se tornou. Chorei por não ter saída, por mais que eu queira ir embora. Chorei porque, apesar de todas as coisas horríveis em Asa, eu ainda morri de preocupação quando ele não voltou para casa.”

 2. Coronel Jesuíno

            Não é só na literatura estrangeira que conta com personagens embustes. Nem Jorge Amado se livrou deles, e Coronel Jesuíno é a prova disso. Em Gabriela, cravo e canela, o Coronel é extremamente abusivo com sua esposa, Sinhazinha, que sofre diversos episódios de violência doméstica. Todo mundo já ouviu a famosa frase “abre as pernas que eu vou lhe usar”, dito pelo próprio todas as vezes que queria se relacionar sexualmente com Sinhazinha. Isso tudo sem contar o fato de que ele MATA a mesma quando descobre que ela o traia.

            O livro é só mais um de tantos exemplos onde a espiral da violência é concluída com a morte da mulher. Em um cenário onde o feminicídio só aumenta, é necessário debater as formas simbólicas de violência contra as mulheres, para que elas reconheçam quando estiverem em relacionamentos abusivos e saiam antes do trágico fim.

3. Jacob

Sim, estou falando do Jacob, o lobisomem de crepúsculo. Não, eu também não percebi que ele era um melhor amigo embuste logo de cara. Mas o que dizer de Jacob se aproveitando de Bella, em lua nova, e todo o processo de tristeza que ela estava passando após o sumiço de Edward, chegando até mesmo a beijá-la e segurá-la no local para que não saísse? Ou quando ele manda ela escolher entre ele e o próprio Edward. Ou ainda o fato de que, literalmente, dizer que prefere ver ela morta do que ser uma vampira….

“- Eu disse para não se meter, Jake. Isso não é da sua conta. Eu nem devia… A gente nem devia estar falando disso. É particular…

Suas mãos enormes seguraram meus braços no alto, envolvendo todo o meu corpo, os dedos se entrelaçando.

– Ai, Jake, me solte! Ele me sacudiu

– Bella! Você perdeu o juízo? Não pode ser tão idiota! Diga que está brincando!

Ele me sacudiu de novo. Suas mãos, apertadas como torniquetes, tremiam, enviando vibrações até meus ossos.”

Tudo bem, você pode achar que eu estou exagerando, mas deixe eu te dizer que existem literalmente ARTIGOS de diversas universidades analisando os relacionamentos abusivos que Bella vive. Isso mesmo, relacionamentos porque, no meio disso, ainda temos:

4. Edward

Não, Edward não é o “homem perfeito” ou qualquer outra coisa que você achava antes.

Primeiro, devemos falar da diferença de poder entre Bella, que é somente humana, e Edward, que é um vampiro com mais de cem anos, com poderes e tudo mais. Bella ainda é uma mulher com a autoestima extremamente baixa, o que só faz ela se sentir diminuída em relação a ele. Vamos a alguns, dos diversos episódios, que Edward é abusivo com Bella:

Logo de início, podemos citar o fato de que, todas as noite, mesmo quando malmente conversavam, Edward invade o quarto de Bella para vê-la dormir. Quando ela descobre o fato, ainda se sente lisonjeada – em sua cabeça, Edward fazia isso para protegê-la (haha).

Mais para frente, já em Lua Nova, Edward simplesmente abandona Bella no meio de uma floresta, invade sua casa e rouba todas as coisas que poderiam a fazer lembrar dele.

Não o suficiente, quando ele retorna, encontra Bella próxima a Jacob, já citado. Com a desculpa de “proteção”, Edward a proíbe de sair com Jacob, chegando até a cortar os cabos da caminhonete de Bella para que ela não tivesse como ir até La Push.

“- Nada de lobisomens.

– Não vou concordar com isso, preciso ver Jacob.

– Então terei de impedi-la.

Ele parecia totalmente confiante de que isso não seria um problema. Eu tinha certeza de que ele estava com a razão.”

Enfim, Edward é manipulador e abusivo e não chega nem perto de ser um par romântico perfeito. Deixemos Crepúsculo de lado, e vamos para o próximo da lista.

5. Ryan Gosling

Se você não leu, ao menos deve ter visto Diário de uma paixão. Mais uma vez, o personagem é visto como o par romântico perfeito, quando a única categoria que deveria receber é de assediador. A única coisa que preciso dizer é que Ryan passa boa parte do início do livro tentando convencer Rachel a sair com ele, que recusa diversas vezes. Sem aceitar o não, ele a chantageia, subindo com ela numa roda-gigante em movimento e dizendo que só sairia de lá se ela “concordasse” em sair com ele. (Isso sem contar o fato de que ele escreve cartas diárias para uma pessoa que não quer suas cartas e muito menos o responde…)

6. Christian Grey

Não dava para fazer essa lista, sem citar ele, protagonista de um dos livros “românticos” mais lido dos último anos. A lista de todo as passagens que Christian é abusivo com Anastasia é tão grande, que só vou citar alguns.

  • Literalmente, Christian hackeia o telefone de Ana para conseguir achá-la.
  • Controla tudo o que ela come, e bebe (nunca deixando ela “beber demais)
  • Controla até o local que ela trabalha. Na verdade, ele não queria nem que ela trabalhasse (“tenho dinheiro suficiente para nós dois”). Após muita insistência de Anastasia, ela começa a trabalhar – até que ele resolve comprar a empresa.
  • Limita quem pode ou não ser amigo dela
  • Ou ainda quando Anastasia brinca com ele dizendo, por mensagem, que não quer mais nada com ele e Christian, ao invés de conversar sobre ou qualquer outra coisa, invade a casa dela para, literalmente, castigá-la (lê-se: bater nela): “não – eu protesto, chutando-o para longe”, […] “Se você se debater, eu vou amarrar os seus pés também. Se você fizer algum ruído, Anastasia, eu vou sufocar você. Fique quieta. A Katherine provavelmente está lá fora ouvindo, agora”.
  • Ainda temos quando ela viaja para a ficar com a mãe, exatamente para repensar o relacionamento deles, deixando CLARO que precisava do espaço e, ao invés de Christian aceitar isso, vai até ela para “mostrar como o contrato é positivo para os dois”.

“Ah, mas como isso tudo que você disse é sobre feminismo?” Simples, todos os livros citados são campeões de venda. Milhares e milhares de mulheres e adolescentes que se dizem fãs de personagens como esses, leem e leem novamente os livros, encantada pelos personagens. Isso só demonstra como o feminismo é extremamente necessário – para denunciar e combater todos esses tipos de violência que são naturalizados e idolatrados, como nesses livros. Somente com a construção de um pensamento feminista crítico mulheres conseguem ver quando estão em um relacionamento abusivo e parar de achar que tudo que o cara faz é “normal”. Porque não é. E está muito longe de ser. Livros, como toda arte, retratam a sociedade e o que ela pensa. Saber que histórias abusivas são romantizadas é entender que os relacionamentos reais abusivos também o são. Diferente desses livros, que terminam com um “final feliz” (e uma protagonista que perde sua essência e cede a tudo que seus pares não-tão-românticos querem), a realidade geralmente termina com uma mulher extremamente violentada, com problemas psicológicos seríssimos, sozinha, quando não morta.

2 comentários em “Sobre personagens embustes

  1. Parabéns pelo post, fui uma das muitas enganadas por Edward só relendo o livro atualmente percebi que aquilo não era normal. Concordo com você precisamos discutir sim sobre esses personagens que vão moldar desde a adolescência a forma que vemos um relacionamento.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s