Expressão

Mais um dia

pexels-photo-953724

Por Cezar (Pseudônimo)

Tem pássaros cantando na mata em frente a casa.
Um feixe de luz bem discreto está passando pela janela e deixando o quarto à meia luz.
Ontem a noite decido me dar uma folga do peso do hoje. Liguei pra um amigo, conversei até cansar. Peguei o hambúrguer, dei play na série e fui. Distante e profundo no objetivo de ignorar o amanhã.
Um dia só, e era tão pesado. Tinha aula, tinha leitura, tinha pesquisa.
Quatro ou cinco horas. Foi o que gastei assistindo série e parando pra comer doce.
Prometi que era meu último dia de alimentação ruim.
Queria tocar piano, pra lembrar que não toco bem. Queria cantar, pra lembrar que esse não é meu forte.
A série falou sobre várias coisas, família, política, paternidade. E o que me chamou atenção foi o galã. Protagonista da série, protagonista das histórias que se passavam dentro dela. Era muito protagonismo.
Protagonismo alcoólatra, protagonismo de problemas relacionais, protagonismo de ausência.
Vazio. Sozinho. Sem sentido.
Assim sentia, essa era sua luta constante.
Me senti ator. Sentei com ele na terapia em grupo. E senti. Olhei pra mim e pensei, e você, pra onde tá indo?
Notei que não tenho propósito.
Tem pássaros cantando lá fora.
Tem carro passando na rua.
O dia que eu queria evitar nasceu, e trouxe o peso de todos os próximos.
O feixe de luz na janela aumentou desde o início do texto.
Conforme o dia passa, aumenta a luz, e clareia.
Clareia.
Essa é minha esperança.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s