x

Anacronismo

Por Tamiris Lima – T193

Não é pelo nome de rei, isso eu sei, mas queria dizer que Eduardo Galeano me lembra muito você. Dei para ler os livros dele um pouco antes de te conhecer e, sim, definitivamente, ele me lembra você. Talvez exista essa relação anacrônica de uma potencial amizade. Ele, um contador de histórias alheias, você, um contador de histórias próprias. Aquilo que leio nos livros dele, consigo imaginar você como personagem. Histórias de amizades, de pensamentos, de indignação, de aventuras, de fodas boas, fodas ruins, fodas amorosas, selvagens, fodas fodas. E o que mais? Ele político, você romântico, ambos socialistas heterodoxos. Ele em missão, você em arte. Ele, bromélia; você, peônia. Não adianta! Ele me lembra você. Espero que o seu Galeano, quando contar sua história, faça alguma menção a mim na sua biografia. Vai ser difícil colocar algo sem importância depois de capítulos de amor profundo, então vou deixar só a singeleza do meu pedido: quero meu nome do lado de um “foi simples e bom, ponto final”. E não há quem possa dizer o contrário dessas semanas de gemidos, cigarros e abraços. Fica bem, flor. Estou cansado, vou dormir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s